domingo, 1 de junho de 2008

Claudia Cardinale

Um pouco de Claudia Cardinale. Isso era tudo. Gabriel quebrou tudo em sua volta e saiu correndo. Deixou Luana na noite suarenta que se transformou-se em tempestade. Luana ainda tentou-lhe lhe acertar com uma garrafa de vinho barato. A única que eles tinham em estoque entre baratas e sonhos mal resolvidos.
- Foda-se tudo. Foda-se você! - gritou Luana. Foda-se seus sonhos com essa tal Claudia Cardinale.
Gabriel quase chrou e segurou-se num ódio imenso. Pegou suas coisas com presa, jogou o que pode dentro de sua mala, junto o velho albúm com fotos de Claudia Cardinale. Com o corpo como se fosse explodir saiu porta afora como um urso furioso. Bateu a porta com toda a força que pode, e enquanto partia ainda ouviu.
- Você é um louco, um desgraçado, um lunático que sonha com uma mulher que não existe! Um homem que ama uma mulher fantasma!
Gabriel seguiu firme no meio da noite em busca de algum motel para dormir, e sonhar com Claudia Cardinale.
Wiskow